ROSA GABRIELLI LANÇA SEU "CONTOS DE SOLIDÃO" HOJE




HOJE, Rosa Gabrielli lança em Bauru seu primeiro livro: “Contos de Solidão”.
Com a obra, editada pela Canal 6, a autora marca sua estréia no mundo literário, reunindo 36 encantadoras histórias que falam sobre personagens solitários e seus idiossincráticos universos particulares .
O livro é forte e contundente. A expressividade com que a autora traduz a alma de suas personagens no decorrer dos contos é de uma força impressionante e talvez essa seja a melhor forma de descrever o estilo de Rosa Gabrielli: o fascínio de um texto leve que esconde por trás das suas letras um denso e bem arquitetado conteúdo.
Anunciadas por títulos curiosos, as histórias aprisionam a atenção desde a primeira frase e terminam por inspirar profundas reflexões sobre a vida. Há um cunho filosófico em cada enredo e a própria descrição das personagens traz sutis ensinamentos antropológicos que funcionam como verdadeiras fontes de sabedoria.
O eixo entre os contos é a solidão. A solidão da pessoa idosa, da mocinha bonita, do homem e da mulher solteiros, da prostituta, do pregador, da mãe de um deficiente físico, do homossexual, do viúvo, da executiva num aeroporto. Todas as personagens de nosso mundo, de nosso dia-a-dia e que se camuflam embrulhando-se para presente.
No decorrer da obra, o leitor é capaz de identificar-se com variadas situações descritas através da fina sensibilidade da escritora que se revela uma observadora nata da natureza humana. Por outro lado, os desfechos absolutamente inesperados conseguem levar os leitores a experimentarem verdadeiras catarses, enlevo típico do prazer da literatura de alto nível.
Rosa Gabrielli desfila uma grande variedade de temáticas, diversificando o eixo das histórias com espontaneidade envolvente.
Com 139 páginas e uma bela apresentação de capa, produzida por Daniel Razabone, “Contos de Solidão” interessa a toda gente. É uma obra que vai mexer com a sensibilidade dos leitores, dedicando-se principalmente a emocionar aqueles que já passaram dos 40 ou quem costuma sonhar de olhos bem abertos.



A autora:


Paulistana, Rosa veio para Bauru na década de 70 quando casou-se e escolheu o interior como cenário ideal para construir um lar e criar filhos.
Casada com Mário Gabrielli e mãe de Marina e Marília, Rosa escreveu praticamente a vida inteira, mas só este ano resolveu publicar seus escritos.
O gosto pela escrita, ela trouxe da infância. Desde os 10 anos, Rosa já excursionava pelas estantes abarrotadas de livros, conquistando, com essa tenra idade, seu primeiro prêmio de escrita pela mais bela oração produzida no colégio.
Sempre escrevendo por prazer e como válvula de escape, Rosa manteve guardados inúmeros cadernos repletos de poesias, textos e pensamentos até que, de repente, acabou rompendo seu próprio segredo e começou a mostrar suas criações literárias aos amigos mais próximos.
O encantamento dos primeiros leitores foi um grande incentivo, mas o derradeiro impulso ocorreu em 2.008 quando, proprietária de uma cafeteria, Rosa começou a se aventurar em saraus literários, lendo em público seus contos para platéias que começaram repentinamente a crescer e a querer mais.
A internet também foi um bom insight. Compartilhar suas histórias com amigos internautas e publicar textos em um blog foram ótimas experiências para a autora que passou a produzir mais, atendendo aos crescentes pedidos dos seus fãs virtuais.
Formada em Direito pela PUC de São Paulo, em Belas Artes pela Fundação Educacional de Bauru e em Estudos Sociais pela Universidade do Sagrado Coração, Rosa sentiu que ainda faltava algo mais específico para finalmente sentir-se a vontade no campo da literatura e acabou investindo mais esforços em um curso de criação literária na área de ficção.
Em 2.008, convidada pela editora paulistana All Print, Rosa publicou dois contos em uma obra coletiva denominada Livro de Família. Ao lado de 24 interessantes escritores, veteranos e iniciantes, ela lançou seus primeiros trabalhos com boa repercussão em São Paulo, escrevendo duas histórias sobre as vicissitudes próprias da vida em família.
No currículo da autora há experiências variadas, tais como: História e Geografia, que lecionou por muitos anos em Bauru; decoração, que aprendeu na Colméia, em São Paulo; uma confecção de moda e uma indústria de brinquedos pedagógicos, das quais foi proprietária e a Resenha Literária, que fazia para um jornal de Bauru. Além de advogada, Rosa também foi agente de turismo, voluntária do CVV, jardineira e produtora de horta orgânica, cantora do Coral Arte Viva e proprietária de uma adorável cafeteria.
Dando continuidade a nova carreira, o segundo livro de contos já está sendo preparado com previsão de lançamento ainda para este ano e uma terceira obra, dedicada ao público infantil, já se encontra em fase final de publicação.


Noite de autógrafos:

Dia – 04/03/10
Horário – 20 horas
Local – Luna Bar – Getúlio Vargas n. 6-15 – Galeria Vitória – 3214-4933
ENTRADA FRANCA

.......................................................................................................................................................................
Contos de Solidão
Rosa Gabrielli

1°Edição – 2010 – Bauru/SP
Projeto Gráfico: Canal 6 Projetos Editoriais
Produção da Capa – Daniel Razabone
Diagramação – Marcelo Canal Woelke
Revisão - Eloisa Tavares – Fundap/SP
Apresentação – Janira Fainer Bastos – Doutora em Estética e História da Arte pela ECA/USP
Prefácio – Sérgio Rizzi – Advogado e Escritor

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pedro do Baião e do Cordel é bauruense e está na chamada do Criança Esperança!

O LIVRO DO PAI DÉCIO FOI LANÇADO PELO FILHO BRUNO NA CASA PONCE ENTRE MOMENTOS DE MUITA EMOÇÃO